Teatro Castro Alves remodelação / Estudio América

Arquitetos do Brasil Estudio América ganhou um concurso em Salvador para a renovação e ampliação do Teatro Castro Alves. Mais imagens e descrição do arquiteto após o intervalo.

[a transmissão para CULTURAL LIFE]
Um teatro faz parte dessas iniciativas, que desempenham um papel essencial na vida de um povo cultural. Com o seu caráter público, por definição, locais onde os desempenhos ocorrem, de facto, uma função significativa na estruturação das cidades e territórios que irrigam culturalmente.

O ntca se tornará um lugar onde a história da Bahia, arte e produção cultural será exposto.Haverá fluxos de pessoas através das galerias que irá funcionar como um espaço didático, expondo a produção e desenvolvimento feito ao edifício. Ao criar uma ligação com a arte, a ntca vai replicar suas ações para outros lugares, tornando-se um difusor cultural promovendo atividades infinitas: um campo de sinergia, aberto a diferentes expressões da arte, com áreas dedicadas à produção e performances, que irá ser multifuncional e bem equipados .

[A Parte e estratégia do projecto]
O projeto atende a proposição para intervir nos chamados três níveis: Requalificação, realocação e adição. Um cronograma rigoroso, dividido em etapas, será seguido para o retrofit, com foco na manutenção do funcionamento ntca durante a construção, tendo como garantia a sua viabilidade e proposição de futuras parcerias. O partido arquitetônico foi criado com duas estratégias em mente: a preservação do volume existente ea construção de uma nova topografia evoluir – uma extensão do território da cidade – organizar os fluxos provenientes dos principais acessos ea comunicabilidade das suas funções. Uma extensão do nível de circulação do público da cidade é criado através de uma placa que intercepta o volume de teatro existentes e amplia-lo em um jardim suspenso. Os espaços são ocupados negativo, dando força à ideia de criar uma capa que gera sombra. A permeabilidade física e funcional entre os edifícios existentes e propostas torná-los um organismo com sistemas separados: o técnico, que articula os espaços existentes e propostas funcionais; e uma pública, que garante um fluxo através das galerias de exposição para os visitantes.

[a estratégia de MODERN PATRIMÓNIO PRESERVAÇÃO]
A estratégia adotada foi a de manter e realçar a força do edifício original, respeitando sua identidade cultural, histórica e os valores estéticos e no projeto original criado por José Bina Fonyat Filho, mantendo a sua integridade e design que resolver de uma forma única o programa em um conjunto volume. Com esta afirmação em mente, decidiu-se criar uma nova topografia, em vez de um novo volume, que iria realizar o novo programa sem interferir com o projeto original. O nível em que está localizado no hall de entrada foi adotada como este novo alívio, funcionando como um pavilhão individual, como o projeto original, uma vez previu.

A ligação entre a adição e do edifício existente foi possível pela criação de dois fluxos separados de serviços funcionais e público em geral, estabelecendo um diálogo coerente e equilibrada, que traz o potencial para a utilização do espaço físico.

[a acomodação PROGRAMA]
O hall de entrada, como um lugar de chegar, é onde as pessoas se encontram, como uma extensão de Campo Grande, a rua ea cidade. Sua integridade física seja preservada através da compreensão clara da dimensão humana que ele estabelece com o quadrado criado, enfatizada pelo volume do edifício principal, que se torna uma linha, quando se aproxima-se a este espaço público. A performance começa no hall de entrada, onde as pessoas se encontram e são atraídos pelo ambiente artístico que estão dentro Os fluxos são organizados em uma forma de resgatar o seu protagonismo e para restabelecer a sua importância como um espaço permeável, de troca, de uma visão de beleza. Há, exposições, eventos e performances vai tornar este espaço vivo, numa justa homenagem à arquiteta Lina Bo Bardi, um leitor sensível e promotora do presente riqueza social e artística no Brasil e na Bahia. Como uma homenagem a ela, um pequeno museu “onde está localizado o escritório de caixa original era uma vez. Para recuperar a transparência no foyer do original, sugere-se que o painel do Caribe foram transferidos para a área de memorial, onde será visível por todos os visitantes do público do complexo. Uma nova esplanada torna possível para a entrada de estender-se e faz uma conexão com o espaço livre abaixo do auditório principal, valorizando e transformando-o em um espaço de articulação dos diferentes níveis, onde um branqueador / escadas ampliar seu volume e incentivar atividades artísticas . A infra-estrutura do terraço do saguão foi revisto para apoiar as novas atividades propostas e, em seguida, tornar-se uma extensão natural da mesma, que traz uma melhor relação entre a cidade eo ntca si.

No chamado “Café Teatro” café teatro [] O projeto original era para ser recuperado, mas adaptado às necessidades contemporâneas, como era uma vez um ajuste perfeito ao saguão.

A sala principal, vestiário e as áreas de apoio fase foram redistribuídos, para uma melhor organização. A área de estágio terá a requalificação solicitado, para atender mais livremente as mudanças cênicas. A audiência será reorganizado, tanto para atribuição de lugares e para terminar, de acordo com os mais modernos materiais e técnicas de tratamento acústico.

Um médias teatro de múltiplo uso, sala de coral é um lugar para as palavras e tem uma necessidade de ser mais íntimo, criando uma relação de proximidade e interação entre a área de teste e do público, permitindo que o público possa ver os olhos dos artistas, sentir sua respiração. A sua localização original é desvantajosa para ele, pois estava na parte de trás do complexo. A organização de circuitos ntca ‘novo, combinada com a criação de uma entrada específica, localizada sobre um novo estacionamento que permite direta de embarque e desembarque, garante uma melhor visibilidade do exterior, de acordo com sua importância como um espaço cênico para o teatro de emergentes Bahia.

Para os dois corpos estáveis, OSBA [Orquestra Sinfônica da Bahia] e Ballet BTCA [Teatro Castro Alves’s], uma completa reorganização dos seus espaços é proposto, com estruturas físicas mais compatíveis com uma produção artística voltada para a excelência. O NEOJIBA [Nova Bahia Young Orchestra] foi movido para o piso -1, para encontrar melhores, mais adequadas e confortáveis acomodações, localizado em um local adequado, perto do palco e os quartos coletivos vestir, algo que vai incentivar projetos de inclusão social através da música orquestral .

A proposta para o “Centro de Referência em Engenharia do Espetáculo Teatral”, CREET [Teatro Performance Engineering Centro de Referência], baseia-se na fluidez do espaço, a permeabilidade visual e funcionamento das actividades relativas à cenografia. Considerando-se como um processo de cenografia, oficinas de sucessivas e actividades conexas foram escolhidos; um caminho permeável projetado para os profissionais que lá trabalham e, ocasionalmente, para o espectador / espectador, que vai ter uma perspectiva do que poderia ser chamado de “dentro” de um show. Os armazéns devem ser abertos visualmente através de uma prateleira, grande transparente. A partir deste espaço onde os materiais são realizadas, é possível ver a oficina no fundo. O caráter exposição está presente em ambas as Oficinas e Centro de Pesquisas. Tudo o que pode contribuir para a compreensão do processo teatral é exposta: guarda-roupa, traje workshop, oficinas de marcenaria, serralheria e adereços. O Teatro Experimental, no final deste caminho, abre francamente para uma pequena praça interior. Esta praça, este vazio, vem a importância de se ficar a uma distância e ter a compreensão do todo – o espetáculo como um todo, ao ser criado. Ao caminhar em torno do espaço, servidores, visitantes e convidados fazem contato com o histórico do edifício e com o que ele produz em suas instalações, um circuito de laboratório vivo, com atividades que comunicam experiências, um ensino / aprendizagem, o espaço expositivo em um passeio caminho.

O Teatro Experimental, ou um espaço polivalente, apresenta o projeto de um teatro flexível, pronto para atender a uma demanda por uma série de outras possibilidades relacionadas ao teatro, dando a possibilidade de organizar o espaço de acordo com necessidades específicas. Ele fornece as referências ao caráter efêmero do show, com uma abertura para o espaço social e da arte, organizando oficinas e atividades educativas como uma forma de conectar o público, os artistas ea comunidade. Esta abordagem visa incentivar a colaboração entre artistas de todas as áreas, graças a uma arquitetura capaz de gerar porosidade entre as disciplinas. Com a intenção de ocupar todos os interstícios disponível no edifício, considerando-os todos como suporte cenográfico para o processo de criação, a sua transparência visa expor o movimento para os olhos dos transeuntes e para oferecer condições de trabalho com luz natural para os artistas. Ele remove a idéia de “o palco ea sala, para transformá-las em um lugar único, sem paredes ou barreiras, que se tornará um verdadeiro palco de acção e uma infinita gama de ocupações. A comunicação direta pode ser estabelecida entre o espectador eo teatro, entre o ator eo espectador, pelo fato de que o espectador, colocado no meio da ação, está envolvido e impregnado por ela.

As intervenções e propostas para a CREET estão a fornecer-lhe um equipamento capaz de colocá-lo, de fato, como uma referência nas artes nacionais e internacionais do espectáculo, e mais de um receptor, mais uma patrocinadora de diversas expressões artísticas. Por um lado é a informação, a circulação de idéias, e por outro lado, a prestação de serviços. Juntando essas atividades em um espaço único no país, vai garantir a originalidade requerida, onde todo o conhecimento técnico, informações e práticas serão capazes de estruturar e integrar os elementos do show, que vai reforçar o seu papel como um ponto de identidade e ligação entre Salvador, Bahia, Brasil e do mundo.


Anúncios