Projeto do porto maravilha vai transformar o Rio em um grande centro internacional do turismo nos próximos cinco anos.

Rio de Janeiro | Revista Quem é Quem na Economia RJ | 04/02/2011

A região portuária do Rio de Janeiro ficou abandonada e relegada durante muitos anos e agora está prestes a se transformar em um poderoso projeto que vai mudar a capital do estado e transformar a região em um instrumento capaz de alavancar todo o desenvolvimento do estado a partir de 2001, aproveitando os grandes eventos como a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas Militares de 2011. Lançado em junho passado, o Projeto Porto Maravilha, união das esferas municipal, estadual e federal, além da iniciativa privada, pretende re-vitalizar toda a Zona Portuária da cidade, transformando-a em um pólo turístico e de investimento para empresários de vários setores. A primeira fase do projeto prevê um investimento inicial de aproximadamente R$ 350 milhões, que serão investidos, principalmente, em obras de reformulação urbanística, e em seguida, serão aplicados mais de R$ 3,6 bilhões em recursos federais já emprestado ao município pela Caixa Econômica Federal.

Além desses recursos, estão previstos também outros investimentos de R$ 7.6 bilhões, a serem realizados por um consórcio de empresas privadas, que jáse assinaram um contrato com a Prefeitura, que é a maior PPP já existente no País. A PPP será realizada pelo consórcio liderado pela construtora Norberto Odebrecht, uma das maiores empresas do Rio de Janeiro, que vai criar no Rio um dos mais importante centros turísticos da América Latina.

O processo de revitalização do Porto do Rio segue a tendência das principais cidades ao redor do mundo, que re-formularam sua região portuária. Os maiores exemplos são Puerto Madero, em Buenos Aires, o Porto de Barcelona, na Espanha, e os portos de Miami e de Nova York, nos Estados Unidos. O Porto Maravilha prevê uma série de melhorias para o entorno do porto, como investimentos em iluminação pública, recuperação de patrimônios culturais, pavimentação, calçamento, drenagem e plantio de árvores, construção de um túnel com uma rodovia de mais de 5 quilômetros, um VLT, centenas de novos edifícios comerciais e residenciais, prédios para novas universidades, shopping center e áreas de lazer.

Entre as obras já em andamento, está a nova alça de acesso rodoviário às Docas, via que pretende desafogar o trânsito na Avenida Brasil ao desviar o acesso de caminhões de carga com destino ao terminal. A demolição da alça de subida do Viaduto da Perimetral também está previsto para a primeira fase do projeto, bem como a reurbanização do histórico Morro da Conceição, marco da ocupação da cidade no século XVI. Os bairros da Saúde, Gamboa, Cidade Nova, São Cristovão e Santo Cristo também serão beneficiados com obras e melhorias urbanísticas e imobiliária.

Estima-se que a região deverá receber entre 2011 e 2016, quando será realizada a Olimpíada, cerca de E$ 12 bilhões.

A Prefeitura pretende também realizar na Barra da Tijuca e Recreio investimentos de mais de R$ 1,5 bihão, junto com a iniciativa privada, construindo a nova vila olímpica, instalações esportivas, ma nova linha de metrô ligando o bairro ao Centro e construindo duas novas vias expressas que vão ligar a Zona Oeste aos demais bairros da cidade. Os investimentos serão federal, estadual, municipal e privados e vão alavancar o crescimento de todo o estado.

O Píer Mauá, porta de entrada dos turistas que chegam à cidade a bordo de transatlânticos, também passará por grandes modificações em suas instalações, que vão do armazém 1 ao 4. Sede de um dos mais importantes eventos de moda do país, o Fashion Rio, o espaço também abrigará o Museu do Amanhã. Parceria entre a Prefeitura e a Fundação Roberto Marinho, o espaço será dedicado a sustentabilidade. O Museu do Amanhã, que será construído no Píer da Praça Mauá, receberá investimentos de R$ 600 milhões.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, diz que a cidade só tem grandes projetos para os cinco anos, devendo se destacar como um poderoso centro de negócios e de desenvolvimento de toda a região Centro-Sul do País.

Contrato assinado

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto (CDURP), Jorge Arraes, assinou no dia 26 de novembro o contrato de concessão para a realização da segunda fase do projeto do Projeto Porto Maravilha. A licitação foi vencida pelo consórcio Porto Novo, formado pelas empresas Norberto Odebrecht, OAS e Carioca Engenharia, que será o responsável pelos serviços nos próximos 15 anos.

O evento contou com a presença do Prefeito do Rio, Eduardo Paes; do Secretário Estadual de Desenvolvimento, Julio Bueno, representando o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Carlos Nuzman; do Senador eleito pelo RJ, Lindberg Farias; da Superintendente da Caixa Econômica Federal, Nelma Tavares; além de demais secretários municipais.

PPP do Rio é a maior do País

Com um contrato de R$ 7, bilhões, essa será a maior Parceria Público-Privada (PPP) do país. ”A PPP garantirá a qualidade das obras e dos serviços. Como ambos ficarão a cargo do consórcio, a Prefeitura do Rio não fará esses investimentos na construção e na manutenção. “No contrato se prevê que o concessionário que financiará as obras e se ressarcirá com elas, permitindo ao município obter ganhos apenas com a valorização da região”, esclarece o presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Porto (CDURP), Jorge Arraes.

Além de realizar as grandes intervenções previstas, como a derrubada do Elevado da Perimetral, o consórcio também será responsável pela oferta e manutenção dos serviços da área, entre eles a iluminação pública e a coleta do lixo durante o período de vigência da PPP.

Reportagem: Alfredo Nogueira
Fotos: Divulgação
Publicado em 2010


Post de Origem: CBA

Anúncios