Fundação Calouste Gulbenkian

Ruy Jervis d’Athouguia, Pedro Cid e Alberto Pessoa

Photo by Alessandra Kocman – http://www.flickr.com/photos/akocman/

A Fundação Calouste Gulbenkian e do Museu é uma das jóias arquitetônicas menos conhecidos em Portugal. Os prédios fazem parte de seu próprio campus isolado em Palhavã, no centro de Lisboa. Arquitetos Ruy Jervis d’Athouguia,  e Alberto Pessoa projetou o campus e os edifícios em memória do xará da fundação, e tanto o fundamento e os edifícios só se tornaram mais respeitados ao longo das décadas.

Ruy Jervis d’Athouguia, Pedro Cid e Alberto Pessoa recebeu a comissão para a Fundação Gulbenkian e o Museu depois de vencer uma competição em 1959. A competição convidou três equipes de três arquitetos para propor suas ideias para os edifícios que serviria como um centro cultural e museu para a coleção do falecido Calouste Gulbenkian de arte impressionante. Os desenhos finais foram construídos em 1969.

A proposta vencedora envolvidos austeros edifícios modernos que foram ditas para refletir sobre a personalidade de Calouste Gulbenkian. O  estruturas permanecem como edifícios separados, mas estão ligadas através de caminhadas fáceis dentro do campus. Altas janelas panorâmicas malha o exterior e o interior do museu com a arte e ao ar livre. O simples monocromático  formas são fáceis de apreciar como uma textura contrastante o oásis verde em que descansar.

A arquitetura da paisagem foi desenhado por Gonçalo Ribeiro Telles e António Viana Barreto, e é impressionante por si só. Vegetação se espalha por todo o campus sobre a relva, nas árvores, e poças de água. O campus leva os visitantes para fora da cidade e no campus calma para apreciar os edifícios e as obras de arte que possuem.

A Fundação Calouste Gulbenkian e do Museu foi reconhecida como Monumento Nacional em Portugal em 2010. Os edifícios são apreciados como uma representação notável da arquitetura moderna Português de 1960, e continuam a inspirar jovens arquitetos hoje.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: Ruy Jervis d’Athouguia, Pedro Cid e Alberto Pessoa
Localização: Lisboa, Portugal
Arquitectos Paisagistas:  Gonçalo Ribeiro Telles e António Viana Barreto
Ano do Projeto: 1959-1969
Referências:  Fundação Calouste Gulbenkian , ICOM-CC 2011 , Archdaily.com
Fotos: Flickr ,  exploratório ,  Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian , Castorp República , elmada ,  wfbakker2 , sheilaellen , Ines 93 , genuína nerds ,anabananasplit ,  Kocman Alessandra

Anúncios