Tribul de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Zanettini Arquitetura

Estrutura em aço e princípios de sustentabilidade dão ao Fórum Verde o primeiro certificado LEED de Brasília

Se 1960 é um marco para a arquitetura brasileira devido à inauguração de Brasília – projetada pelo urbanista Lúcio Costa e com obras assinadas por Oscar Niemeyer –, 2011 coloca novamente a Capital Federal em destaque no cenário arquitetônico. Em abril deste ano, foi inaugurado na cidade o Fórum do Meio Ambiente e da Fazenda Pública do Distrito Federal, o primeiro prédio do Centro-Oeste a seguir critérios internacionais de construções sustentáveis para a obtenção da certificação Leadership in Energy and Environmental Design® (LEED), do Green Building Council (USGBC).

O projeto foi elaborado pela Zanettini Arquitetura, em coautoria com a arquiteta Sandra Henriques, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), seguindo normas estabelecidas pelo plano urbanístico local. A obra durou cerca de dois anos e a estrutura, toda em aço ASTM A572, foi um dos fatores determinantes para a obtenção do selo LEED.

Ao avaliar o emprego do aço no projeto, o engenheiro André Sosti Perini, da Caenge, empresa responsável pela execução da obra, diz que o material trouxe dinamismo à construção, redução no tempo de obra, bem como na geração de resíduos, e na limpeza do canteiro, além de ter facilitado o transporte dos materiais e minimizado o uso de formas e escoramentos. Segundo ele, para uma construção sustentável, estes fatores são relevantes, ainda mais se relacionados aos processos de certificação.

O Fórum Verde, como vem sendo chamado, tem 6.282 m² de área construída, divididos em cinco pavimentos para abrigar oito varas de Fazenda Pública, além da Vara do Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário do Distrito Federal. A estrutura em aço aparente foi desenvolvida em uma malha de 1,25 m x 1,25 m, além de contemplar o uso de lajes steel deck.

Além da Vara do Meio Ambiente, o conjunto abriga oito varas de Fazenda Pública. A estrutura, toda em aço, foi o fator determinante para a obtenção do selo LEED

Para ampliar ainda mais o conforto térmico na edificação, de acordo com a Zanettini Arquitetura, a 80 cm da fachada, foram instaladas telas de sombreamento em aço inoxidável. Tais telas foram voltadas para as faces de sol nascente e poente, integradas aos jardins horizontais. Somadas aos terraços e cobertura verdes, lajes ajardinadas na garagem e jardins térreos “cumprem o papel de amenizar o calor e criar o microclima ideal, além de humanizar os ambientes de trabalho”, destaca a equipe do escritório.

Na cobertura, simultaneamente ao sistema ajardinado, foram utilizadas lajes impermeabilizadas e telhas metálicas zipadas simples, com 1 mm de espessura.

Equipe multidisciplinar

A obra foi realizada em nove etapas, segundo o engenheiro da Caenge: preparação do terreno; instalações provisórias; movimento de terra; execução das fundações; execução das estruturas: pilares e vigas metálicas e de concreto para as caixas dos elevadores e das escadas; execução das lajes steel deck, seguida de concretagem; execução dos projetos complementares (elétrico, hidráulico etc.); vedações (divisórias, envoltória, vidros); revestimentos e acessórios.

Já na primeira etapa, os critérios de sustentabilidade prevaleceram. A locação do edifício no terreno – com área de 1.980 m2 no Lote M do Setor de Administração Municipal – e a implantação longitudinal no eixo noroeste-sudeste, com circulação horizontal, privilegiaram a presença da natureza e a integração com a paisagem do entorno, formada por vegetação nativa. Tais soluções projetuais garantiram a entrada de iluminação e ventilação cruzadas em todos os ambientes do edifício.

O trabalho multidisciplinar também foi fundamental à construção, devido às exigências do projeto. “Uma obra que busca a certificação ambiental LEED deve incorporar mudanças de comportamento das equipes envolvidas no trabalho, sejam próprias ou empreitadas”, afirma o engenheiro Perini. Ainda de acordo com o profissional, para a obra do Fórum Verde foi fundamental um processo educacional de conscientização e capacitação contínua de todos os envolvidos. “A participação de diversos profissionais no processo facilita a tomada de decisão e a adequação do projeto, evitando-se problemas futuros, além de proporcionar redução no tempo de obra”, completa.

O projeto também incluiu a adoção de sistemas que garantem eficiência energética, economia e reuso de água, madeira de reflorestamento, tintas, mantas e colas que obedecem às normas técnicas restritivas quanto à liberação de Compostos Orgânicos Voláteis (COV’s), entre outros itens. (C.E.)

Para ampliar ainda mais o conforto térmico na edificação, a 80 cm da fachada foram instaladas telas de sombreamento em aço inoxidável

Ficha técnica

Projeto arquitetônico: Zanettini Arquitetura e Sandra Henriques, TJDFT
Área construída: 6.282 m²
Aço empregado: ASTM A572
Volume de aço: 384 t.
Projeto estrutural: Meirelles Carvalho Engenharia e Projetos S/C Ltda.
Fornecimento da estrutura metálica: CPC Estruturas
Fornecimento de steel deck: Perfilor
Execução da obra: Caenge S.A. – Construção, Administração e Engenharia
Local: Brasília, DF
Data do projeto: 2008
Conclusão da obra: 2011

via> http://www.cbca-acobrasil.org.br/noticias-ultimas-ler.php?cod=5429

Anúncios